Ciencia Ecuador , Morona Santiago, Lunes, 08 de abril de 2013 a las 15:38

INIAP desenvolve pesquisa com o maracujá doce na Amazônia

Estuda-se a fenologia desta espécie, adubação, gestão de podas, tutoria e sistemas agroflorestais sustentáveis adaptados à cultura

INIAP/DICYT O Instituto Nacional Autônomo de Investigações Agropecuárias (INIAP), em sua Fazenda Experimental Palora, localizada em Palora, província de Morona Santiago, avalia uma Passifloraceae conhecida como maracujá doce, de grande tamanho, resistente às principais doenças que atacam a estes cultivos e com alto conteúdo de açúcares.

 

“Esta gestão é semelhante às variedades comerciais de maracujá semeadas em nosso país. Registra uma produtividade de 8 a 15 Kg por planta.

 

Gómez indica que se estuda a fenologia desta espécie, sua fertilização, gestão de podas, tutoria e sistemas agroflorestais sustentáveis adaptados à cultura.

 

Tem uma excelente adaptação como fruta fresca, doce e suculenta por parte dos consumidores e produtores, que solicitaram a disposição deste material para o cultivo.

 

O técnico da Fazenda Palora informa que existem experiências que indicam que, além do consumo da polpa, os resíduos da fruta, como a casca, podem ser utilizados como alimento para o gado por seu grande conteúdo protéico.