Ciencia Portugal , Castelo Branco, Viernes, 05 de junio de 2015 a las 13:26
INESPO II

Novo laboratório de referência para fisiopatologia

A Universidade da Beira Interior lançou uma nova unidade no centro UBIMedical que vai investigar em áreas como hepatologia ou sistema respiratório

José Pichel Andrés/DICYT A Universidade da Beira Interior pôs recentemente a funcionar o Laboratório de Fisiopatologia Geral, uma unidade de prestação de serviços e investigação integrada no centro UBIMedical, uma infraestrutura dedicada à área da saúde que também procura promover a criação e desenvolvimento de projetos empresariais e tecnológicos. Uma das principais ocupações deste novo laboratório será o estudo da função respiratória humana e as suas patologias.

 

Esta unidade está capacitada para avaliar a ventilação em situações normais ou de doença, em repouso e em exercício; pode realizar análises das estruturas torácicas e abdominais, utilizando ecografias, e também de órgãos como o fígado de forma não invasiva. Este tipo de testes, tanto em crianças quanto em adultos, permite reconhecer problemas como fibrose, segundo informações fornecidas à DiCYT pelo coordenador do laboratório, Miguel Castelo Branco, e a sua equipa.

 

A unidade ainda se encontra numa fase de instalação de equipamento, desde que entrou em funcionamento em março passado, mas já estabeleceu vários objetivos em matéria de investigação.

 

Uma das linhas que abordarão os cientistas é o estudo epidemiológico da função respiratória na população, com foco na análise da prevalência da Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (DPOC) e da asma, especialmente em pacientes idosos.

 

Além disso, os especialistas esperam avaliar programas de reabilitação respiratória e cardíaca a realizar em pacientes de forma domiciliária, ou seja, nas suas próprias casas usando a telemedicina, uma abordagem inovadora que possibilitam as novas tecnologias.

 

Estudo do fígado

 

Por outro lado, os investigadores do Laboratório de Fisiopatologia Geral tentarão caraterizar doenças hepáticas e estudarão a sua monitorização, desde a idade pediátrica até à idade adulta. Neste sentido, eles estão interessados na infiltração adiposa no fígado, ou seja, o acúmulo anormal de gordura neste órgão. Assim, também trabalham no estudo da fibrose hepática, que está relacionada com outros problemas graves como a hepatite C, e respetivos tratamentos para ambas as doenças.

 

Para além de todas estas possibilidades no domínio da investigação científica, a nova unidade do UBIMedical também dispõe de uma grande variedade de serviços, especialmente no campo do diagnóstico de doenças pulmonares, hepáticas e cardíacas. O laboratório pode realizar testes funcionais respiratórios para a avaliação da causa fisiopatológica subjacente, por exemplo, nos casos de insuficiência cardíaca. O equipamento desta unidade permite a realização de espirometrias, provas de esforço cardiorrespiratórias ou oximetrias. Em resumo, o laboratório aposta pela utilização métodos não invasivos para avaliar problemas como a fibrose hepática, esteatose hepática ou fígado gorduroso em todas as faixas etárias.

 

UBIMedical

 

O UBIMedical completa-se com outros múltiplos laboratórios dedicados à investigação, em áreas tão diversas como neurofisiologia, neuropsicologia, biomecânica, qualidade do ar ou oftalmologia, entre outras. Após um investimento de cinco milhões de euros num projeto cofinanciado por fundos europeus, este centro adscrito à Universidade da Beira Interior torna-se o maior referente em investigação biomédica no nordeste de Portugal. Além disso, uma das suas principais tarefas é a transferência e partilha de conhecimentos, conseguir que a investigação se transforme em empresas inovadoras.