Ciencia Portugal , Castelo Branco, Lunes, 18 de mayo de 2015 a las 19:02
INESPO II

O chá branco tem efeitos positivos contra a pré-diabetes

Uma investigação da Universidade da Beira Interior (Portugal) realizada em ratos com níveis elevados de glicose no sangue mostra que o chá branco ajuda a proteger o coração

José Pichel Andrés/DICYT Um estudo realizado pelo Centro de Investigação em Ciências da Saúde da Universidade da Beira Interior (CICS-UBI), na Covilhã (Portugal), manifesta que o consumo de chá branco pode ser benéfico para as pessoas com pré-diabetes, uma condição pela qual os indivíduos têm altos níveis de glicose no sangue, mas não tão elevados como para serem considerados diabéticos. A investigação, realizada em ratos, também descobre que esta bebida tem efeitos cardioprotetores.


A equipa de investigação de Branca Silva, professora da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade da Beira Interior, estuda a composição química de alimentos de origem vegetal e plantas medicinais para verificar a sua atividade biológica antioxidante, antidiabética e anticancerígena. Para este trabalho, os cientistas escolheram uma infusão pouco estudada até agora, o chá branco, que se faz a partir dos brotos e folhas jovens da planta Camellia sinensis, que diferem tanto em composição química quanto em propriedades sensoriais (sabor, aroma e cor) de outros mais familiares, como o chá verde.


"Um estudo preliminar demonstrou que ultrapassa o chá verde em catequinas, substâncias com uma forte atividade antioxidante que previnem os danos causados por radicais livres, os promotores de várias doenças, incluindo doenças cardiovasculares e neurodegenerativas, além de vários tipos de cancro e a diabetes”, explica Branca Silva em declarações a DiCYT.


Portanto, o grupo de investigação decidiu aprofundar o estudo das suas propriedades em relação à diabetes, uma doença transformada em pandemia global que causa uma série de complicações com estatísticas preocupantes: a cada seis segundos, uma pessoa morre no mundo por causas relacionadas com excesso de glicose no sangue. O coração é um órgão particularmente sensível a este problema.


Nos experimentos, os investigadores induziram a um grupo de ratos a condição de pré-diabetes. O consumo de chá branco não reduziu os níveis de glicose, mas diminuiu a intolerância a esta substância e aumentou a sensibilidade à insulina, que regula a quantidade de glicose no sangue, tal como referem no artigo recentemente publicado pela Profa. Silva e sua equipa na revista científica Journal of Functional Foods.

 

Melhora a capacidade antioxidante do coração


Além disso, “ao termos em conta que cerca de 80% de todas as mortes em diabéticos é devido a problemas cardiovasculares, decidimos avaliar com precisão o efeito do consumo de chá branco para o coração”, diz a investigadora. Assim, encontraram diferenças metabólicas importantes entre os animais que beberam chá branco e o grupo de controlo que bebia água. Com o chá, normalizaram-se os níveis de algumas substâncias, contribuindo para uma melhor proteção cardiovascular perante alterações próprias do excesso de glicose. “Os nossos resultados mostram claramente que o consumo regular de chá branco melhora a capacidade antioxidante do coração”, afirma Branca Silva.


Os investigadores julgam que os resultados podem ser extrapolados para os humanos, mas novos estudos serão necessários para estabelecer qual seria o consumo de chá branco recomendado para pacientes pré-diabéticos e diabéticos. Além disso, em teoria, também pode ser benéfico para pessoas saudáveis, uma vez que não se têm observado efeitos adversos.


Em um futuro próximo, esta equipa do Centro de Investigação em Ciências da Saúde da UBI espera continuar estes estudos a avaliar o efeito do chá branco sobre outros órgãos de animais pré-diabéticos. Há indícios de que o consumo desta bebida também pode ser positivo para o cérebro, de acordo com alguma pesquisa publicada em revistas internacionais pelo próprio grupo, portanto, os cientistas esperam contar em breve com o financiamento necessário para iniciar um novo projeto que os permita confirmá-lo.

 

Referências bibliográficas

 

Alves MG, Martins AD, Teixeira NF, Rato L, Oliveira PF, Silva BM (2015) White tea consumption improves cardiac glycolytic and oxidative profile of prediabetic rats. Journal of Functional Foods. 14: 102–110.

 

Nunes AR, Alves MG, Tomás GD, Conde VR, Cristóvão AC, Moreira PI, Oliveira PF, Silva BM (2015) Daily consumption of white tea (Camellia sinensis (L.)) by prediabetic Wistar rats improves cerebral cortex metabolic and oxidative profile. British Journal Nutrition 26:1-11.

 

Nunes AR, Alves MG, Moreira PI, Oliveira PF, Silva BM (2015) Can tea consumption be a safe and effective therapy against diabetes mellitus-induced neurodegeneration? Current Neuropharmacology. 12(6): 475-489.

 

Dias TR, Tomás G, Teixeira N, Alves MG, Oliveira PF, Silva BM (2013) White tea (Camellia sinensis (L.): antioxidant properties and beneficial health effects. Int. J. Food Sci. Nut. Diet. 2(2):1-15.