Ciencia México , México, Viernes, 15 de febrero de 2013 a las 16:20

Pesquisador da UNAM propõe uma alternativa para utilizar energia solar em casas

Realizou-se uma experiência piloto com as necessidades energéticas de uma família de quatro integrantes

Agência ID/DICYT Especialistas da Universidade Nacional Autônoma do México (UNAM) analisaram a possibilidade de aproveitar a energia solar em uma casa utilizando praticamente só a rede de conexão elétrica e sem implicar altos custos de instalação ou armazenamento.

 

Até agora os sistemas fotovoltaicos apresentam pouca viabilidade para o uso em casas, sobretudo naquelas que não estavam adaptadas a este tipo de energia, devido a que sua instalação ainda representa um gasto significativo para os usuários.

 

Contudo, Antonio Sarmiento Galán, especialista do Instituto de Matemáticas da UNAM, demonstrou que é possível reduzir os custos do sistema fotovoltaico ao prescindir de dispositivos de armazenamento energético e utilizar a energia gerada através do uso da rede elétrica, de modo a satisfazer as necessidades energéticas de uma família de quatro pessoas.

 

Isto foi possível com um pequeno módulo (células fotovoltaicas), um inversor de corrente e um medidor bidirecional conectado à rede de distribuição elétrica. “Durante o dia o sistema transforma a energia solar em corrente elétrica direta, que é convertida pelo inversor em corrente alternada para ser utilizada imediatamente, ou para ser injetada na rede elétrica, a fim de que se possa recuperar durante a noite. Desse modo, o medidor deve ser bidirecional”, afirma Sarmiento Galán.

 

O pesquisador universitário também afirma que ainda que o investimento possa ser recuperado em um período de oito a nove anos, sobrarão mais uns 10 anos de energia elétrica gratuita e limpa. “Devido à natureza modular do dispositivo, a instalação pode ser realizada por partes; isso ajuda a fazer com que o investimento correspondente seja facilmente custeado”.

 

Os primeiros testes com este tipo de dispositivos foram realizados em casas localizadas na parte sul da Serra Madre del Sur, no México, uma área com alto risco de tempestades elétricas, mas o sistema não sofreu nenhum dano. Durante os quatro primeiros anos de operação o sistema gerou 3.550 quilowatts/hora por ano, evitando a emissão de 2.5 toneladas de bióxido de carbono por ano que seriam liberadas à atmosfera caso se utilizasse energia fóssil.