Health Spain , León, Monday, December 10 of 2012, 13:46

Universidade de León lidera uma pesquisa nacional sobre hábitos de vida saudáveis

Os resultados preliminares indicam que quase 10% dos estudantes universitários apresenta um uso problemático da Internet

CGP/DICYT A Universidade de León, através da Área de Medicina Preventiva e Saúde Pública, lidera um projeto de pesquisa no qual participam outras seis universidades espanholas (especificamente a de Cantabria, Granada, Huelva, Jaén, Salamanca e Vigo) focado em testar hábitos saudáveis entre alunos universitários. Sob o título de Unihcos (siglas de universitários e hábitos de vida, coorte de acompanhamento), tem como objetivo saber quais são os hábitos saudáveis dos alunos matriculados no primeiro curso de qualquer Graduação que tenham interesse em participar de forma anônima, a fim de saber no decorrer de vários anos qual é a evolução de seu estado de saúde e os fatores que o afetam, o que permite avançar no conhecimento da prevenção das doenças e promover a saúde.

 

O primeiro grupo, pertencente ao curso 2011-2012, relacionou um total de 292 universitários, dos quais a maior contribuição foi registrada pela Universidade de León, com 155 estudantes. O curso de Enfermaria é a titulação com maior interesse nesse projeto, mas conforme afirma Vicente Martín, professor e um dos responsáveis pelo projeto de pesquisa, “queremos ampliar o espectro das entrevistas e poder captar estudantes de outros cursos, pois existem titulações que podem apresentar maior risco, dependendo do estilo de vida analisado”.

 

Participar de acompanhamentos deste tipo revela resultados muito valiosos. Um exemplo disso é o fato de que “muito do que sabemos hoje sobre a prevenção das doenças do coração (infarto, ictus, etc), somente foi possível com os estudos da denominada Coorte de Framinghan”, agrega Martín.

 

O estudo aplica-se ao âmbito universitário porque, de acordo com os responsáveis pelo projeto, “muitos hábitos de vida que influenciam na saúde iniciam-se e se consolidam na etapa universitária, de modo que é um momento adequado para avaliar os estilos de vida e sua influência na saúde neste momento e no futuro”.

 

Unihcos é financiado pelo Plano Nacional sobre Drogas do Ministério de Saúde, Serviços Sociais e Igualdade, e o nome completo do projeto de pesquisa é Coorte dinâmica de estudantes universitários para o estudo do consumo de drogas e outros vícios. A denominação de coorte se deve a que o estudo pretende criar “um grupo de pessoas que são acompanhadas durante um grande período de tempo, e avaliar seu estado de saúde”.

 

Os estudantes que aceitem colaborar com o projeto, e após receber um email no qual se convida os alunos a participar de um questionário de forma confidencial e anônima, são acompanhados durante sua estadia na universidade e após deixá-la. Com caráter bianual, será coletada informação dos participantes sobre a evolução dos hábitos de vida e seu estado de saúde.

 

Resultados preliminares

 

Do total de mil entrevistas realizadas no curso passado, já foram analisados alguns resultados, especialmente o impacto das novas tecnologias (uso de internet e smartphones) na saúde. “Se aplicou um questionário em espanhol para avaliar o risco de dependência ou uso problemático da Internet, e os estudos preliminares indicam que quase 10% dos estudantes apresentam um uso problemático da internet, que é mais elevado entre os meninos do que entre as meninas nas faculdades técnicas (engenharia e arquitetura) e sociais e jurídicas, que no resto das titulações analisadas”, indica Tania Fernández, pesquisadora do projeto.

 

Para ter acesso a mais informação sobre os objetivos, a metodologia e o desenvolvimento do projeto Unihcos, foi criada uma página web e estão presentes nas redes sociais de Facebook, Tuenti e Twitter, segundo informação da Universidade de León a DiCYT.