Social Sciences Spain , León, Friday, May 04 of 2012, 13:49

“Estimular o hemisfério direito do cérebro do aluno permite, a longo prazo, reduzir o fracasso escolar”

O responsável pelo Conceito Universal do Sistema de Aritmética Mental (Ucmas)na Espanha, Bharat Aidasani, fala em León sobre o potencial deste método

Cristina G. Pedraz/DICYT O Parador de San Marcos será sede no dia 03 de março de um congresso de centros de ensino da capital onde se apresentará o método Ucmas (Conceito Universal do Sistema de Aritmética Mental, em inglês), um programa que pretende ajudar a estimular a atividade cerebral das crianças. O responsável por este programa na Espanha, Bharat Aidasani, transmitirá aos docentes o potencial deste método focado no trabalho com ábacos, que já está sendo realizado em mais de 75 centros espanhóis que agrupam cerca de 6.000 alunos.

 

Em que consiste o método Ucmas?

Neste método utilizamos o ábaco como ferramenta principal para ajudar os alunos a desenvolver suas capacidades do hemisfério direito do cérebro. O modelo de ensino da Espanha costuma trabalhar muito bem o hemisfério esquerdo do aluno, mas existe uma descompensação desta perspectiva em relação ao hemisfério direito que queremos consertar. Os alunos aprendem a realizar operações aritméticas, primeiro sobre um ábaco físico, e depois transferem estes conhecimentos progressivamente a um ábaco mental, virtual. Com esse processo de passar do mundo físico, do ábaco, ao mundo abstrato, é possível estimular de modo mais profundo a concentração, a memória auditiva e visual, a criatividade ou a visualização.

 

Como a utilização de um ábaco ajuda no desenvolvimento do hemisfério direito do cérebro?

O hemisfério direito tem as funções de visualização, imaginação, criatividade, pensamento em imagens, etc. O que faz o aluno a princípio é utilizar esta ferramenta para trabalhar a psicomotricidade fina, manipulando com seus dedinhos, porque o método está orientado a crianças pequenas, para resolver as operações. Pouco a pouco pedimos que imaginem esse ábaco em sua mente, um processo que requer concentração e esforço, mas que é uma capacidade que as crianças já têm. A única coisa que fazemos é maximizar este potencial latente que está dentro do aluno.

 

Como comenta, este método está especialmente orientado a crianças pequenas. Concretamente, a partir de que idade é recomendado?

O método somente pode ser oferecido a alunos de 5 a 13 anos. Um aluno de 13 anos pode começar com o método, mas um aluno de 14 não. Está somente orientado à idade do curso primário e a razão destas características tão especiais é que o desenvolvimento dos tecidos neuronais dos alunos tem um gráfico exponencial. Queremos aproveitar esta fase na qual a assimilação de conceitos é muito rápida e o ensino é permanente nos alunos. O que estamos trabalhando com eles é uma habilidade, como andar de bicicleta ou nadar, que fica com seus alunos para o resto de suas vidas.

 

Qual será a diferença no futuro de uma criança que seguiu o método Ucmas no curso primário de outro que não o fez?

A curto prazo, o primeiro que se observa é uma melhor na área das matemáticas. A longo prazo, e esse é nosso objetivo, aumenta sua capacidade de aprendizado e se nota uma melhora também em outras áreas acadêmicas. Ademais, o aluno aprende a se concentrar melhor, o que o ajuda a assimilar a informação nova do mundo exterior, e com mais eficácia. A longo prazo, ademais, ajuda a combater o problema do fracasso escolar, que os alunos saiam cedo do colégio e que rendam melhor em suas disciplinas.

 

Em que países este método está sendo atualmente aplicado?

O método nasceu em Kuala Lumpur, na Malásia, em 1993, e atualmente é aplicado em 49 países, em mais de 5.000 centros. Chegamos a Espanha em 2008, quando começou um programa piloto nas Ilhas Baleares, e atualmente é oferecido em mais de 75 centro de ensino e a mais de 6.000 alunos.

 

Como surgiu o projeto?

 

O projeto partiu do dono da empresa, Dino Wong, que trouxe o método porque notou que nos colégios privados, conveniados e públicos os estudantes não prestavam atenção na aula e tinham problemas de déficit de atenção. Enfrentou o tema da dificuldade de aprendizagem e queria pôr seu grão de areia. Conheceu o método na India, onde o praticam mais de cem mil alunos, e decidiu trazê-lo à Espanha. Isto foi em 2008 e desde então crescemos exponencialmente.

 

O que deve fazer um centro que deseja implantar esta metodologia?

Deve procurar a diretora do Ucmas em León, colocar-se em contato com nossa delegação aqui e estes se encarregariam de explicar o método e como funciona a implantação. É o método populista, nosso objetivo é que em algum dia todos os alunos façam Ucmas na Espanha.