Ciencia España , León, Martes, 07 de mayo de 2013 a las 15:45

Pesquisa-se a concentração de nitrato e de outros elementos na água municipal e engarrafada da Espanha

Trabalho se insere no projeto MCC-Spain, cuja finalidade é analisar a influência de fatores ambientais e sua interação com fatores genéticos em tumores

Cristina G. Pedraz/DICYT Um grupo de pesquisadores do Instituto de Biomedicina da Universidade de León (Ibiomed) colaborou na recente publicação de um artigo da revista Gaceta Sanitaria, editada pela Sociedade Espanhola de Saúde Pública e Administração Sanitária (Sespas), no qual foram analisadas as concentrações de nitrato e outros elementos da água engarrafada e municipal da Espanha. O estudo concluiu que a quantidade de nitrato presente na água municipal não excede os limites legais em nenhum caso, mas difere entre regiões e que os oligoelementos, como o arsênico, níquel e cádmio, estão presentes em concentrações tão pequenas que não são quantificáveis em praticamente todas as amostras, tanto no caso da água corrente, quanto da água engarrafada.

 

A pesquisa se insere em uma das tarefas do projeto nacional MCC-Spain (Estudo Multi-Caso de Controle populacional de tumores de alta incidência na Espanha), cuja finalidade é analisar a influência de fatores ambientais e sua interação com fatores genéticos em quatro tipos de tumores: câncer colorretal, de mama, estômago, próstata e leucemia linfóide crônica (LLC). Dentre eles se encontra a presença de contaminantes na água potável (arsênico, nitratos, cromo, subprodutos de cloração, etc.), assim como disruptores hormonais (substâncias que perturbam o funcionamento dos hormônios), outros contaminantes orgânicos persistentes ou a alteração do ritmo circadiano em razão de trabalhos com turnos noturnos, dentre outros fatores.

 

Com relação à concentração de contaminantes na água, o pesquisador do Grupo de Interação Gene, Ambiente e Saúde do Ibiomed, Antonio José Molina, explica a DiCYT que foram analisadas 227 amostras de água de 67 municípios espanhóis e 9 amostras de água engarrafada (correspondentes às marcas mais vendidas). Dentre estes municípios se encontra a capital de León e 12 povoados da província, que são considerados representativos em função do número de casos de câncer e de controles que fazem parte do estudo MMC, e do maior tempo de exposição destes pacientes à água.

 

“Queremos conhecer a exposição que representa a água e os produtos nela existentes como possíveis cancerígenos. Observou-se que a exposição à água pode estar associada a determinados compostos que podem ser cancerígenos e é interessante estudar quais são os níveis na Espanha, porque existe pouca informação. O objetivo é saber a que quantidade está exposta cada pessoa, quanto há em cada lugar, como utiliza a água cada pessoa e durante quanto tempo. Em função destes dados, será feita uma modelagem sobre o tempo que esteve exposta essa pessoa a nitratos ou outros componentes”, detalha o pesquisador.

 

As amostras, coletadas da água da torneira de alguns estabelecimentos destas localidades, foram analisadas integralmente no Laboratório de Saúde Pública de Guipúzcoa. “A primeira coisa a se destacar dos resultados é que não há nenhum problema nas amostras analisadas, todas se encontram abaixo dos limites legais nestes componentes, ainda que exista variabilidade entre lugares distintos”, esclarece o pesquisador. Neste sentido, deve-se considerar a origem da água. “Nos povoados de León, procede principalmente de poços e mananciais, enquanto na cidade é água superficial e procede de reservatórios. Em outros lugares, como em Barcelona, existem dessalinizadoras e, dependendo da origem, poderemos encontrar concentrações variáveis de compostos”, afirma.

 

O estudo da água engarrafada se deve a que determinadas províncias espanholas, como Barcelona ou Murcia, registram consumos muito importantes. “Era algo que quase não havia sido estudado e analisamos a situação com os mesmos resultados, todos estão sempre abaixo da determinação legal”, conclui o pesquisador.

 

MCC-Spain

 

O estudo MCC-Spain começou em 2008 e atualmente possui a participação de 17 grupos do CIBERESP (CIBER de Epidemiologia e Saúde Pública), dentre eles o o Ibiomed. Os tumores escolhidos inicialmente para a pesquisa foram o câncer colorretal, de mama e gástrico, aos quais posteriormente se agregou a leucemia linfática crônica (LLC).

 

O câncer colorretal foi escolhido devido a sua importância em termos de incidência e mortalidade em ambos sexos. O câncer de mama constitui um importante problema de saúde pública no qual os fatores de risco conhecidos explicam apenas 50% dos casos observados. O câncer de próstata foi incluído tanto por sua freqüência, como por seu caráter hormonal, compartilhando com o câncer de mama algumas hipóteses etiológicas sobre disrupção endócrina. O câncer gástrico foi escolhido pelo característico padrão geográfico que apresenta e as hipóteses ambientais sugeridas. Finalmente, o LLC foi selecionado posteriormente para colaborar com o estudo de sequenciamento de casos de LLC incluído no International Cancer Genome Consortium.

 

O projeto envolve o recrutamento de casos dos distintos tipos de câncer comparados com um mesmo grupo de controle. No total, afirma Antonio José Molina, foram recrutadas cerca de 10.000 pessoas, submetidas a um questionário estruturado que inclui informação detalhada sobre fatores sócio-demográficos, trabalho, antecedentes pessoais e familiares, hábitos de vida e dieta; e a obtenção de diversas amostras biológicas para a utilização de biomarcadores. Os controles são populacionais, escolhidos de forma aleatória a partir da lista de pessoas atendidas em centros de Atenção Primária.

 

Referência bibliográfica

 

Herrera, N. E., Kogevinas, M., Vinyals, G. C., Aragonés, N., Boldo, E., Ardanaz, E. A., Azpiroz, L., Ulibarrena, E., Tardón, A., Molina, A.J., ... & Villanueva, C. M. (2013). "Nitrato y elementos traza en agua embotellada y municipal en España". Gaceta sanitaria: Organo oficial de la Sociedad Española de Salud Pública y Administración Sanitaria, 27(2), 156-160.